Dio Está Morto!

Imagem de divulgação.

Nos anos oitenta do século passado eu era criança. Apenas na segunda metade dos anos noventa ouvi pela primeira vez "Heaven and Hell", numa rádio de rock já extinta, com um baixote de amídalas de aço à frente da lendária banda Black Sabbath. Creio que fosse um projeto de Ronnie James Dio relembrando tempos passados... Anos depois, rondando por uma loja bem ordinária da Galeria do Rock, em São Paulo, comprei quase que sem querer um disco conceitual maravilhoso, "Magica", de 2000. Pronto, mais um admirador do 'pequeno demônio' enfrentando a insanidade. Nítida a influência de seu velho companheiro de Rainbow, o guitarrista Ritchie Blackmore, neste trabalho; o arranjo do álbum foi do fantástico músico Craig Goldy, auxiliado pelo baixista Jimmy Bain e pelo incrível tecladista Scott Warren.


Ronnie James Dio, foi vocalista e letrista do Elf, da maravilhosa banda hard Rainbow, do Black Sabbath e do Heaven And Hell – projeto este de criação dos integrantes do Sabbath. Um câncer estomacal levou o cantor baixote. Sim, de pequena estatura física, mas de voz monstruosa e de caráter gigante. Escrevo este texto porque sinto que o tempo passa com crueldade. Dio não é da mesma geração que a minha, mas ele foi mesmo atemporal. O heavy/hard não será o mesmo sem ele. O vozeirão visceral e clássico fará muita falta nos palcos roqueiros.


Além da importância inigualável de Dio para a música, o artista tinha senso social. Foi dele a concepção do Hear n’ Aid, We’re stars”, que visava combater a fome na África. Ele reunia amigos, fãs, críticos, todos tinham carinho por aquele homem que sentia a dor alheia. Era de sua personalidade, generoso e cônscio.


Em 1983 foi lançado um dos maiores discos da história do heavy metal, "Holy Diver". O guitarrista, sempre hard, Vivian Campbell estava lá para forjar o som pesado característico da banda que aliou técnica pavimentada de teclados (depois muito utilizadas por grupos de heavy metal melódico), excelente conjunto de base feito por baixo e bateria, tudo sendo incorporado à extraordinária energia que emanava do âmago da alma de Ronnie James Dio.

"Holy Diver" é um álbum clássico, a música tema é sensacional, uma obra-prima em todos os sentidos... Dio rulez (Mob Rules)!




O sinal característico do heavy metal foi popularizado por Ronnie James Dio. Era um gesto que contrafazia o sinal de Ozzy Osbourne no Black Sabbath. Para diferenciar os apelos de paz de seu antecessor, Dio lembrou-se do “moloch”, gesto que sua avó católica fazia para espantar mau-olhado. Virou ícone de bangers e roqueiros de todo o mundo.

É... Polêmica à parte, Dio foi muito melhor que Ozzy. Além de excepcional letrista, aquele ‘pequeno demônio’ foi mesmo o maior front man do hard/heavy em todos os tempos.

Sempre me lembrarei daquele dia em que ouvi pela primeira vez os assombrosos acordes de “Heaven and Hell”. Descanse em paz, 'deus do metal'!



Por Ricardo Novais