A Padroeira do Brasil

Hoje o é dia das crianças. No entanto, vamos deixar os brinquedos por conta da Unicef, da Xuxa, do Pelé ou do Didi dos Trapalhões...

É que gostaria de chamar a atenção para o fato de que hoje também é o dia da Padroeira do Brasil, a Nossa Senhora Aparecida. Mas não estou aqui como religioso ou para defender alguma religião. Impressiona-me deveras é a adoração do povo por esta extraordinária protetora, a Advogada do Brasil Real!

Pouco importa neste texto, devotíssimo senhor leitor e carolíssima dona leitora, se Deus existe ou não – o escopo aqui é homenagear a fé em sempre continuar vivendo de um povo que sofre tanto e não tem auxílio de alma viva; por isto mesmo suplica para a crença numa Entidade Superior, tentando assim superar os inúmeros infortúnios de uma vida pálida, ossuda e sem muita tinta, como diria João Cabral. Mas não pense que está a salvo; tu és tão povo como é este parvo blogueiro que preenche estas míseras linhas. Somos todos integrantes deste intrépido povo brasileiro...

Povo este que tenta superar mazelas em todas as regiões deste imenso País. E digo que superam... Bravamente!

Porém, esqueçamos, por enquanto, as mazelas dos nossos irmãos – e as nossas também; esqueçamos igualmente de todas as religiões do mundo e, por um minuto apenas, esqueçamos do próprio Deus. Está bem? Selemos uma curta paz! É que meu prélio com este texto é o justo, o sagrado, portanto, uma coisa gostaria de insistir com contundência, com veemência, posto que, verdadeiramente, capitulei. Meu prezadíssimo amigo e minha queridíssima amiga; o que quero é pedir-lhes uma coisa, de fato, sincera. Sejas ou não cristão, vos imploro, humildemente, que olhem para o exemplo de Nossa Senhora. Ao cair-lhe nos olhos a tristeza de ver o Filho morto, lágrimas escorreram pelo seu peito e tocaram o crucifixo transformando-se em esplêndidas rosas cândidas. Beleza! E é esta beleza que lhes suplico que adotes; senhor leitor e dona leitora!
Contudo, admiro-lhes muito, leitores, por saberem apreciarem beleza onde, à primeira vista, só existem coisas horríveis. Conquanto a mim, permanecerei pobre de espírito, sei apenas ver a hipocrisia nas coisas, aparentemente, mais belas.

Vejo muita beleza sendo subjugada por muito descaso... desprezo e arrogância são as sentenças dos homens que julgam este povo. Por isto há súplica à Advogada.

Nossa Senhora, Mãe de Deus, rogai por nós! Amém!


Por Ricardo Novais