Em Qual Brasil Você Vive?

Jornais que costumam anunciar de tudo hoje estão calados. Ora! Onde está a chegada do São Salvador? Perguntam-se.

No Rio de Janeiro, as pessoas continuam sentido as conseqüências da regeneração “parisiense”, ainda da época do Pereira Passos. Traficantes e a polícia se digladiam na zona norte da cidade aterrorizando o povo que clama no inferno: “A gente quer paz, irmão, a gente quer paz!”, bradou um rapaz socando ao próprio peito de dentro de um coletivo que, por sua vez, podia-se ver ao motorista desesperado tentando desviar do ponto de ebulição do confronto. Neste momento, as autoridades de segurança pública se questionavam: O Morro dos Macacos ainda é Brasil?

Enquanto isto, no nordeste, o Presidente da República tenta convencer os “coronéis” do sertão de que pensa apenas no povo triste da caatinga e do agreste – aqueles que sofrem disputando e perdendo a água escassa para os cavalos das fazendas. O Presidente disse ainda não estar preocupado com sua imagem de “grande estadista” e muito menos na “transposição” das urnas no ano que vem – como vem sendo acusado por grandes “autoridades” do sudeste brasileiro.

Dizem alguns, que o mal de um Governo muito popular – não confundir com populista – é que consegue desagradar tanto os radicais pobres como os radicais ricos desta nossa fulgente e criativa sociedade.

Nas ruas, pelo País inteiro – menos, claro, na moda “capa de chuva F1” de Interlagos – o povo também parece tonto ou bêbados. Critica e julga sem analisar o porquê do Brasil estar chorando.