Uma Noite nas Trevas

A cidade Iluminada apenas pela lua ou por velas, lamparinas e lampiões. Água das banheiras das casas aquecida em fogões à lenha - nas residências mais ricas: serpentinas (cano distribuído na chapa do fogão, que além de cozinhar, esquenta a água impulsionando-a para uma caixa d’água separada da principal). As fábricas com motores a vapor e a locomoção de transporte feita por tração humana.

O relato acima poderia muito bem ser aplicado aos cidadãos que viviam no final do século XIX e início do XX. Mas ontem, já estamos no III milênio, o Brasil viveu uma noite nas trevas.

Por volta das 22h (horário de Brasília), o fornecimento de energia elétrica foi interrompido em grandes áreas dos Estados de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e, na Grande Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

De acordo com o ONS (Operador Nacional do Sistema), cerca de 800 cidades foram atingidas pela falta de energia elétrica.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, houve um desligamento completo da hidrelétrica de Itaipu. O Paraguai também sofreu com a falta de eletricidade, isto causou um efeito cascata e as várias regiões dos dois países ficaram às escuras.

Apesar disso, o presidente da Usina, Jorge Samek, afirmou que o problema não foi na geração de energia, mas na transmissão. “A causa do blecaute não teve origem na usina de Itaipu”, diz um comunicado divulgado pela hidrelétrica.

De acordo com o assessor de comunicação da hidrelétrica Itaipu Binacional, Gilmar Piola, enquanto não se souber os motivos da interrupção não se pode dizer com certeza a culpa do apagão. No entanto, muitos 'estudiosos' responsabilizaram as "questões de fenômenos meteorológicos" (?).

Ontem, a falta de energia causou problemas principalmente para o trânsito. No Rio de Janeiro os sinais de trânsito ficaram desligados e a circulação de veículos ficou complicada.

Na cidade de São Paulo, a maior da América Latina, a situação também foi a mesma com o trânsito apresentando problemas nos principais corredores de tráfego.

A população ficou, literalmente, no breu noturno; sem transporte para voltarem à suas casas, dependendo de um precário atendimento de gerador próprio de energia em hospitais e delegacias, ainda por cima sem informações claras sobre o que estava acontecendo.

Este é um sinal (apagado) de que antes, na época da energia impulsionada por velas, lamparinas e gás, o Brasil estava à beira das trevas, mas agora, nestes tempos modernos, já demos um passo à frente.

A Nação iluminada à vela...



Por Ricardo Novais

Fonte das informações: www.itaipu.gov.br/