Sonhos que se Realizam...

*João Almeida tinha 12 anos em 1995. Fanático pelo Santos Futebol Clube, acompanhou a campanha de seu time no vice-campeonato brasileiro daquele ano. Ele morava em Brasil Novo, pequenino município do Pará localizado às margens da rodovia Transamazônica. Lá a energia elétrica era gerada através de motores a diesel, insuficiente para atender toda a população.

Durante os jogos do Peixe, João ouvia as narrações de futebol pelo rádio à pilha - provavelmente numa emissora paulista de ondas potentes. Foi assim que sonhou pela primeira vez com um 'Messias', o craque Giovanni.


Giovanni saiu do Pará e foi realizar seus sonhos na cidade grande. Conquistou o mundo!

João Almeida nunca esqueceu de uma noite em que Santos e Fluminense jogaram no estádio do Pacaembu, em São Paulo. A partida, válida pela semi-final do Brasileirão de 1995, foi antológica. O Flu não se entregou fácil, mas os santistas tinham Giovanni, o genial 'G-10'. Ele acabou com o jogo, fez jogadas de talento e saiu de campo exaltado pelo povo. Logo depois o Santos perderia o título na grande final do campeonato para outro carioca, o Botafogo - a 'estrela solitária' desta finalíssima foi o juiz, maldito Márcio Resende de Freitas! Mas, em Brasil Novo, o pequeno João já havia sido encantado pela própria imaginação que tinha de seu ídolo. Passou a ter um único sonho: ao invés de apenas ouvir pelo rádio, ele queria assistir as jogadas fantásticas de Giovanni na televisão; o aparelho ficava inutilmente no meio da sala de sua casa, sempre desligado por causa da falta de energia no município.

O garoto cresceu, casou-se, teve filhos, separou-se e mudou-se para Brasília. Na capital deste país, pela primeira vez em sua vida, ele conseguiu assistir na televisão o seu ídolo jogar, mas com a camisa do Barcelona, da Espanha. Então o seu sonho mudou, começou a imaginar como seria bom se, um dia, ao ligar a televisão, visse o 'Messias' envolto novamente no manto sagrado alvinegro.


Torcida santista no Pacaembu.

Ontem João Almeida estava no Pacaembu. Viu o show do Santos FC contra o Rio Branco, da cidade de Americana, 4 a 0 para o Peixe e destaque para a dupla Paulo Henrique (Ganso) e Neymar. O jogo marcou a estreia do time no Campeonato Paulista - finalmente a bola voltou a rolar neste eterno "País do Futebol"; graças!

Contudo, João chorou. Mais uma 'testemunha de Giovanni'... Quando o treinador Dorival Júnior chamou o 'G-10' para colocá-lo em campo a noite brilhou como que por encanto, uma vez mais no mesmo palco de quase 15 anos atrás. O craque caminhou com sua habitual elegância, cumprimentou o companheiro e adentrou ao gramado. Olhou de relance para as arquibancadas, fitou por um instante a multidão o ovacionando, quis derrubar uma curta lágrima, mas não pode. Sua consciência cerebral não permitiria; em vez disso, tratou a bola com carinho, viu seu pupilo Ganso e tocou magistralmente para ele, que por sua vez não decepcionou entrando na pequena área e estufando as redes num golaço fantástico.

A torcida vibrou emocionada; depois foi indo embora devagarinho, alegre e festiva num Pacaembu maravilhosamente cheio. Todos desejaram que a noite durasse para sempre. João Almeida não foi embora com os outros, ficou alguns bons minutos fitando tudo que os seus olhos pudessem alcançar, agarrado ao filho de 5 anos, naquelas arquibancadas de tanta história. Por certo, ele estava tendo mais um sonho...

Muitas vezes, nos lugares mais longínquos, mais pobres, onde falta saneamento, saúde, educação e energia elétrica, como na cidadezinha de João Almeida, os sonhos mais simples e sinceros se realizam. Um dia, quem sabe, Brasil Novo não fique no escuro e conheça um novo Brasil.

Gols da estreia do Peixe no Campeonato Paulista de 2010:





Por Ricardo Novais
______________________________________________________________
* Esta crônica tem relação com o Estado do Pará - local que um dia eu gostaria de conhecer, pois, além de ser onde nasceu o genial craque Giovanni, é também o verdadeiro coração da floresta -, do mesmo modo tem pequena inspiração em minhas lembranças do Campeonato de 1995, mas é principalmente uma homenagem ao garoto João Pedro (foto de cabeçalho deste texto), fanático torcedor do Santos FC que faleceu aos 12 anos de idade, no dia 22 de setembro do ano passado. Conhecido por toda a sociedade santista, o menino sofria de epidermólise bolhosa (doença rara de pele) desde o seu nascimento. Ele foi enterrado no Cemitério do Paquetá, em Santos.