Encontrei Cantona

Nesta semana consegui ver a última semana da 33ª Mostra de Cinema de São Paulo, terminou ontem. Assisti ao filme “À Procura de Eric”, do extraordinário cineasta inglês Ken Loach.

O filme é lindo! Tem uma beleza leve e bem-humorada, narrado em tom de fábula; é também um presente para os apaixonados por futebol e admiradores dos jogadores rebeldes, independentes e de personalidade, como o craque francês Cantona.

Eric Bishop, personagem do excelente ator britânico Steve Evets, é um carteiro em crise, atormentado pela paixão mal resolvida pela ex-mulher e dois enteados adolescentes que cria com muito esforço.

Cercado de amigos, aos quais não dá ouvidos, Eric encontra refúgio apenas em seu quarto – um pequeno ambiente decorado com um pôster de Eric Cantona em tamanho natural, além de outras fotos de jogadores do Manchester.

O foco do filme é a classe trabalhadora inglesa, com seu sotaque particular, os gestos bruscos, mas carinhosos, e a paixão pela cerveja e o futebol. Cantona, de certa forma, pelo que aconteceu em sua carreira, é mais inglês do que francês, e faz todo sentido dentro deste filme (o ex-jogador, a propósito, é um dos produtores do longa).

Nascido em Marselha, Cantona atuou por várias equipes francesas e pelo Leeds, da Inglaterra, antes de se transferir para o Manchester em 1992. Com a camisa 7, se consagrou com um dos maiores jogadores da sua geração e ajudou a equipe a conquistar o Campeonato Inglês (Premier League), que não vencia desde 1967, por quatro vezes.

Também deixou uma marca pela personalidade – inteligente, rebelde, sempre falou e fez o que vinha pela cabeça. Uma vez, no Marselha, atirou a camisa do clube no chão ao ser substituído. Criticou publicamente o técnico da seleção da França, o que o afastou de convocações.

Certa vez, no Manchester, depois de ser expulso de campo, agrediu um torcedor do time adversário, que o xingava das arquibancadas. Foi suspenso por dez meses. Por conta desta e outras confusões, acabou não participando da seleção da França na Copa de 98, sua maior frustração. Abandonou o futebol aos 31 anos.

Vários dos 84 gols que Cantona fez jogando pelo Manchester são rememorados no filme pelo perseverante Eric. A paixão por este esporte mágico chamado futebol contagia todos os sentimentos do mundo.

Abaixo o trailer do filme:
Site oficial da 33ª Mostra de Cinema de São Paulo: http://www.mostra.org/
Site oficial da produtora: www.californiafilmes.com.br/