O Mundo do Twitter



Os homens do twitter, cada vez mais se distanciam dos homens das cidades. Na postura, na expressão, na visão e nos sonhos. Os meios “literários” tornavam-se, pouco a pouco, terreno conhecido dentro deste universo virtual. E os twiteiros tornam-se cada vez mais conhecido nesse terreno.

Um dia desse aí já passado, acusaram-me de "iniciado" nas classes de sondagem psicológica, isto é, do grupo que busca compreender os mecanismos que comandam as ações humanas, sejam elas de natureza espiritual, política ou decorrentes da ação que o meio social exerce sobre cada indivíduo que vive na cidade – completamente distante, portanto, dos RTs, replies, #FF, @indicoalguémquevocêmeindicatambém, etc. A principal ira de alguns navegadores #engajados# e #nevrálgicos# é que não se é possível, na visão deles, temperar tudo com profunda reflexão. Isto mesmo, dona leitora, que também gosta muito de contestar em sites e afins.

Mas se o grande escritor, antes de ser polido ou grande estilista, busca inspiração nas ações rotineiras do homem, penetrando na consciência das personagens para sondar-lhes o funcionamento; ou não?.

Ainda assim, como um suprimento alimentar, os twiteiros parecem mesmo um espelho mal posto desta nossa sociedade aguda, vaidosa, fútil, hipócrita, ambiciosa, invejosa, e inclinada à deslealdade (social) e infidelidade (conjugal).

Tais quais os impulsos contraditórios existentes em qualquer ser humano, torna-se difícil classificar estes nossos personagens em bons ou maus. Esta visão superficial e maledicente que impera nas novas mídias parece o produto direto destas personagens reais da sociedade, que vivem de acordo com o convencionalismo destes nossos tempos.
Mas calemos, se eu também já fui desmascarado...

Tenho uma amiga que odeia minhas contestações. Reclama delas com fervor assustador. Chama-me de perturbador, quando não de “chato do boteco”. Eu não a contesto porque tenho vontade de fazer sexo com ela... Que sabe um dia, quem sabe... Mas, enfim, ela fala mal de mim. Não sei por quê. Não faz diferença. Eu sou apenas um bêbado que a cada três doses faz confessar o pecado de alguém ou, quando não, confessa os próprios.

Para mim é mesmo um sacrifício ficar sem falar. Mas a bebida me dá ânimo extra, então as palavras saem. No entanto, muitas vezes as pessoas não gostam muito do que ouvem... Mas se eu gosto de ouvir o que me dizem, mesmo as piores censuras. É; devo mesmo ser um sujeito chato e bêbado.

Devo também fazer um esforço no twitter e respeitar os followers e todas as indicações destes meus poucos seguidores. Mesmo achando tudo isto estranhamente aleatório e irracional.

Por fim, para terminar este parvo texto que já vai se esticando muito, peço aos twitteiros que me perdoem a lascívia verborrágica, assim como o meu pensamento balofo e difuso. É que não possuo uma ideologia tão sagaz e crítica como a de vossas senhorias, que com tanto fundamento e criatividade, retransmitem os erretês deste adorável mundo (des)conexo. Pois se sou apenas um twitteiro modesto...



O senhor Arthur Schopenhauer dizia "que é a modéstia é uma humildade hipócrita pela qual um homem pede perdão por ter as qualidades e os méritos que os outros não têm".


Perdão amigos do twitter!



Por Ricardo Novais