Recomeços...

Pôr-do-sol beijando a Baía de Guanabara. Foto: GEMERSON H DIAS.Site: olhares.com.

Último dia de mês, primeiro de algum recomeço. Estou de volta aos meus velhos sonhos ardilosos e novas esperanças vazias; sempre recorro a mim mesmo – ente este qual, às vezes, sinto tanta falta de decisão.

Amanhã não quero que me perturbe mais, ó vida! Quebrei hoje as letras de qualquer história, joguei qualquer sentimento pela janela. Não me perturbe mais! De agora em diante só quero a sorte de um sorriso calmo e alguma boa dose de bebida sensual, uma vida que valha alguma alegria mais leve. A única estrutura que eu aceito que balance é a do coração.

Obrigado, meu Senhor, por ter me mostrado algum dom. Obrigado, meu Senhor, se hoje eu sei quem eu sou – e ainda encontro a mim mesmo. Não é grande coisa, por certo; mas, em meio a toda minha hipocrisia, isto é tudo. Os elogios dissimulados e tapinhas às costas são meu grande reconhecimento, à grande honra! Eu só quero domar a imaginação e desvirtuar a realidade; nada mais, nada menos. Causa-me esplêndida impressão estes sonhos que transformam alguma vida com alguma palavra, alguma letra, rabisco, rascunho, linha...

Ninguém pega um caminho incerto qualquer por acaso do imponderável; tudo, e o resto, é tomar uma decisão.


Ricardo Novais